Produção goiana de laranja deve ter queda de 9,8% em 2024

Estimativa é que sejam produzidas 156 mil toneladas da fruta nesta safra, alcançando 1% da produção nacional

08.07.2024 | 16:36 (UTC -3)
Revista Cultivar, a partir de informações da Seapa

A produção de laranja foi o destaque da publicação mensal de julho da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seapa) "Agro em Dados". Para a safra de 2024, a estimativa é que sejam produzidas 156 mil toneladas da fruta no Estado, que tem a expectativa de se tornar o 8º maior produtor no ranking nacional de produção, apesar da queda de 9,8% em relação à safra passada prevista para o ciclo. Outras culturas abordadas pelo boletim foram a de soja e milho, que devem alcançar, respectivamente, 16,7 milhões de toneladas, queda de 5,8% em relação à safra passada, e 10,7 milhões de toneladas, queda de 15,2% na safra 23/24. 

Entre os destaques municipais da produção de laranja estão as cidades de Itaberaí, Hidrolândia, Águra Frita de Goiás, Catalão, Rio Verde, Inhumas, Goianápolis, Anápolis e Sítio d'Abadia. 

Em maio de 2024, a média de preços de comercialização da laranja pera nas Ceasas do Estado caiu 19%, chegando a R$ 2,84/kg. No acumulado de janeiro a maio, foram movimentados cerca de R$ 50,2 milhões, com 15.196,5 toneladas da fruta. As estimativas do boletim indicam que o Valor Bruto da Produção da Laranja (VBP) deve alcançar R$ 357,3 milhões, o que representa um crescimento de 46,5% em relação à safra anterior. 

Cotações: Laranja Pera Rio Ceasa-GO (R$/kg)
Cotações: Laranja Pera Rio Ceasa-GO (R$/kg)
Ceasa-GO: Comercialização da laranja
Ceasa-GO: Comercialização da laranja

Os dados do boletim também apontam que mais de 80% da laranja comercializada em Goiás tem origem no próximo Estado, que tem expandido as áreas de produção graças ao uso da irrigação e à tecnificação do manejo dos pomares. Pedro Leonardo Rezende, titular da Seapa, destaca a importância das ações da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) no controle de pragas em citros e para manter o padrão de qualidade da produção estadual. 

“O esforço da Agência no sentido de assegurar a sanidade das mudas dentro dos padrões fitossanitários exigidos pela legislação vigente faz toda a diferença na garantia da qualidade da laranja produzida e comercializada no Estado”, afirma.

Programa de Controle e Prevenção de Pragas: as ações do Programa de Controle de Prevenção de Pragas em Citros, promovido pela Agrodefesa, buscam assegurar a produção e o comércio dos frutos, assim como a sanidade das mudas dentro dos padrões fitossanitários exigidos pela legislação vigente. Entre os principais objetivos da iniciativa estão prevenir a introdução e a disseminação de pragas quarentenárias, promover o levantamento anual de detecção de pragas quarentenárias, além de instalar e monitorar armadilhas de capturas de pragas. De janeiro a junho, foram 1.000 fiscalizações e 160 inspeções em 2.210 Unidades de Produção cadastradas.  

Soja

O Agro em Dados de julho confirma a estimativa de queda de produção e de produtividade em relação à safra passada, decorrente dos extremos climáticos que marcaram o início do ciclo da oleaginosa, assim como a falta de precipitações. Em Goiás, a colheita foi concluída ainda no mês de junho, e a projeção para a safra 2023-24 teve queda de 5,7%, alcançando 16,7 milhões de toneladas e o 4º lugar no ranking nacional de produção. O VBP também teve queda em relação à última safra, atingindo R$ 29,4 bilhões, com baixa de 16,8%.

Milho

A colheita da safra do milho verão em Goiás já foi finalizada, enquanto a segunda safra encontra-se em progresso inicial, aguardando redução da umidade do grão para iniciar as operações. Apesar de uma estimativa de produção mais otimista, apontada no último levantamento da Conab, a safra de milho em Goiás deve reduzir, tanto pelo encolhimento da área plantada, quanto pelas implicações climáticas ao longo do período de cultivo do grão na safra 2023/24. 

O Estado deve produzir 10,7 milhões de toneladas no ciclo atual, baixa de 15,2% em relação à última safra. Até 16 de junho, o Estado havia colhido cerca de 4% da produção de milho 2ª safra. O VBP do milho em Goiás também prevê queda, desta vez, de 8,8%, atingindo R$ 11,2 bilhões. 

Compartilhar

LS Tractor Fevereiro