Exportações de soja e milho em alta; preços de fretes com tendências variadas

Em dezembro de 2023, 3,83 milhões de toneladas de soja foram exportadas, aumento em relação a 2022; exportações de milho foram de 6,06 milhões de toneladas

25.01.2024 | 08:16 (UTC -3)
Revista Cultivar
Principais portos brasieliros exportadores de soja em 2022 e 2023 (toneladas)
Principais portos brasieliros exportadores de soja em 2022 e 2023 (toneladas)

Em dezembro de 2023, o Brasil exportou 3,83 milhões de toneladas de soja. Este número é inferior ao mês anterior, mas superior ao mesmo período de 2022. No acumulado de janeiro a dezembro de 2023, as exportações atingiram 101,8 milhões de toneladas. Isso representa um aumento de 29,2% em relação ao mesmo período de 2022.

A alta nas exportações de soja deve-se a dois fatores principais. Primeiro, a China aumentou a importação de óleos vegetais. Segundo, o Conselho Nacional de Política Energética do Brasil decidiu aumentar o aporte de biodiesel na mistura ao óleo diesel. A partir de março de 2024, a mistura será de 14%, subindo para 15% em março de 2025. Essa decisão deve aumentar a demanda por óleo de soja e estimular o esmagamento da soja nacional.

Apesar do crescimento, há fatores de baixa. Os Estados Unidos apresentaram produção e estoques acima das expectativas. Além disso, as boas safras esperadas na Argentina e no Paraguai podem compensar eventuais reduções na produção brasileira.

No milho em 2023, desafios e recuperação

As exportações de milho em dezembro de 2023 foram de 6,06 milhões de toneladas. Isso representa uma queda em relação ao mês e ao ano anteriores.

Todavia, no período de janeiro a dezembro de 2023, as exportações de milho atingiram 55,8 milhões de toneladas, aumento de 29,2% em relação ao ano anterior. O Mato Grosso foi o principal estado exportador, contribuindo com mais da metade do total.

A desvalorização do milho no mercado internacional reduziu a paridade de exportação. A produção brasileira de milho enfrentou adversidades climáticas, mas recentes chuvas trouxeram esperanças de recuperação.

Por outro lado, a Conab projeta redução na produção brasileira de milho para a temporada atual. Isso por causa de adversidades climáticas enfrentadas durante a safra de verão e a perspectiva de redução na área semeada em 2023/24, englobando as três safras do cereal.

Principais portos exportadores de milho no Brasil em 2022 e 2023 (toneladas)
Principais portos exportadores de milho no Brasil em 2022 e 2023 (toneladas)

Situação dos portos e fretes no Brasil

Os portos do Arco Norte lideram a exportação de soja no Brasil. Em dezembro, 33,8% da soja nacional foram exportados por esses portos. Isso supera os 32,7% do ano passado. Santos (SP) exportou 30% da soja, uma queda em relação aos 32,7% anteriores. Paranaguá (PR) aumentou suas exportações para 14,1%, contra 13% do ano passado. Mato Grosso, Paraná, Goiás e Rio Grande do Sul são os principais estados exportadores. As informações são da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

No milho, apesar de uma queda em dezembro, os portos do Arco Norte exportaram 41,6% do total nacional. Santos (SP) veio em seguida com 38,2%. São Francisco do Sul (SC) e Paranaguá (PR) também tiveram participações significativas. Mato Grosso, Goiás, Paraná e Mato Grosso do Sul lideram as exportações.

Em dezembro de 2023, 3,83 milhões de toneladas de soja foram exportadas. Isso representa um aumento em relação a 2022. As exportações de milho também cresceram, atingindo 6,06 milhões de toneladas. A China e o aumento da produção impulsionaram esses números.

Por sua vez, os preços dos fretes rodoviários em Mato Grosso apresentaram leve queda. Outros estados, como Mato Grosso do Sul e Goiás, também registraram variações nos preços de frete. A Conab destaca que o nível de preços em Mato Grosso é elevado e não deve diminuir.

Compartilhar

Mosaic Fevereiro Marco 2024