Escolha da cultivar pode impactar em mais de 180% na produtividade, aponta DigiFarmz

Pesquisadores analisaram o comportamentos a respostas de fungicidas e nutrição de mais de 75 cultivares de soja

09.07.2024 | 17:08 (UTC -3)
Fabiana Duarte

Presente no Brasil, Paraguai e Estados Unidos, a Digifarmz, agtech especializada em tecnologia digital para recomendação preditiva personalizada de manejo agronômico para o controle de doenças da lavoura, conta com um time de pesquisa focado nas estratégias de melhores resultados de soja, trigo, milho, entres outras culturas.

Em um recente trabalho realizado na safra 2023/24 em sua cidade sede, Passo Fundo/RS, com materiais de 16 obtentores, em duas diferentes épocas de semeadura (08 de novembro e 12 de dezembro), os pesquisadores analisaram o comportamentos a respostas de fungicidas e nutrição de mais de 75 cultivares de soja.

Conforme Leonardo Furlani, Coordenador Técnico de Pesquisa e Desenvolvimento da DigiFarmz, quando submetidas às mesmas condições de solo, clima e manejo, houve uma grande variação na produtividade final das cultivares. “Ao analisar os extremos, na primeira época de semeadura a cultivar campeã obteve produtividade de 109,2 sacas por hectare, enquanto na segunda época, a cultivar campeã obteve 83,6 sacas por hectare, mostrando que, mesmo em condições de elevada pluviosidade, como foi na safra 2023/24, os materiais conseguiram atingir ótimos resultados de produtividade. Em contrapartida, na primeira época de semeadura houve cultivares com produtividades próximas a 50 sacas/hectare (52,1) enquanto na segunda época o pior resultado foi 29,7 sacas por hectare”, revela.

Analisando que durante a safra não ocorreram variações de manejo, ou seja, todas as cultivares foram submetidas às mesmas condições, foi obtida uma mudança de resposta de mais de 105% de produtividade entre cultivares na primeira época e mais de 180% na segunda época.

“A escolha da cultivar ideal para cada situação é uma das decisões mais importantes para um produtor obter o sucesso e elevadas produtividades. É importante escolher uma cultivar adaptada, compatível com o manejo de produção, levar em consideração as características agronômicas, a capacidade produtiva, ciclo, tecnologia, sensibilidade a doenças, pragas e nematóides e realizar a distribuição das cultivares de forma adequada dentro da fazenda, adaptando-se para cada talhão, fazendo com que a produtividade potencial da cultivar seja expressada”, aponta Furlani.

No experimento realizado, destacou-se as seguintes cultivares como mais produtivas para a primeira época de semeadura: BMX Titanium TF, NEO 560 IPRO, NEO 531 I2X, DM 56ix59 IPRO, GH 5115 I2X, NS 5252 I2X, 95R40 IPRO, NEO 510 IPRO, 95R21 E e 95Y42 IPRO. Para a segunda época de semeadura destacaram-se as cultivares: DM 56ix59 IPRO, BMX Titanium TF, HO Tibagi I2X, HO Pirapó IPRO, HO Paraguaçu I2X, 95R40 IPRO, 95Y42 IPRO, 95R21 E, BMX Raio IPRO, DM 54ix57 I2X.

A DigiFarmz é uma das pioneiras na transformação da agricultura digital e já impactou mais de 4 mil fazendas, evitando desperdício de produtos, cultivo mais saudável e aumento da produtividade. Com mais de meio milhão de hectares monitorados em aproximadamente mil fazendas no Brasil e Paraguai, a agtrech combina ensaios e pesquisas de campo com algoritmos ancorados em Inteligência Artificial para, com base em mais de 50 variáveis, entregar orientações para melhor tomada de decisão sobre custo-benefício de fungicidas, janelas mais adequadas de plantio, bem como para aplicação de insumos e respectivas doses, alertas em tempo real de incidência de doenças, entre outros apontamentos para assegurar o potencial produtivo das lavouras. 

Compartilhar

LS Tractor Fevereiro