Epagri e agricultores de Curitibanos (SC) avaliam o desempenho de oito variedades de batata-salsa

A entidade quer estimular o plantio de batata-salsa na região para oferecer uma alternativa de renda para as famílias rurais

09.07.2024 | 14:48 (UTC -3)
Epagri
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Da lavoura até o prato: foi assim que agricultores da região de Curitibanos (SC) avaliaram oito variedades de batata-salsa amarela em um evento realizado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri). O objetivo foi identificar quais variedades dessa hortaliça (também conhecida como mandioquinha ou batata-baroa) têm potencial para serem recomendadas na região. A Epagri quer estimular o plantio de batata-salsa para oferecer uma alternativa de renda com boa rentabilidade por área para as famílias rurais da região.

O encontro aconteceu na propriedade de Jean Alberto Zanghelini, na comunidade de Cerro Alegre, no interior de Curitibanos. A Epagri implantou nesta propriedade uma unidade demonstrativa de cultivo de batata-salsa, onde realizou análise de solo e recomendação de adubação para o plantio, sem custo para o produtor. Em agosto de 2023, foram plantadas mudas das seguintes variedades: Coqueiral, Rubia, Inca, Pavão, Senador Amaral, Carijó, Catarina e P2 (ainda em fase de avaliação).

Análise em campo

O evento começou com uma apresentação do extensionista Marcelo Zanella, da Epagri, sobre produção de mudas, fertilidade e preparo do solo, tratos culturais e colheita. Zanella também apresentou as características das oito variedades de batata-salsa.

Foto: divulgação
Foto: divulgação

O grupo avaliou e estimou a produtividade de cada variedade. “As plantas só vão completar seu ciclo em agosto, após mais 60 dias, quando as produtividades alcançadas serão, pelo menos, 50% a mais do que o resultado alcançado nesta avaliação”, explicou Marcelo Zanella. No dia da avaliação, o resultado estimado para cada variedade foi o seguinte: Coqueiral: 26t/ha, Rubia: 8t/ha, Inca: 19t/ha, Pavão: 15t/ha, Senador Amaral: não produziu, Carijó: 15t/ha, Catarina: 9t/ha e P2: 19t/ha.

Cozimento da batata-salsa

Do campo, os participantes partiram para a fase de cozimento e degustação, conduzida pelo pesquisador Eduardo da Costa Nunes, da Epagri de Urussanga. Nessa etapa, além das variedades amarelas, uma variedade de batata-salsa branca entrou na análise para comparação. Na avaliação de cozimento, os participantes aprovaram todas as variedades, com destaque de preferência para as batatas Coqueiral e Inca.

Os técnicos da Epagri concluíram que, com base na disponibilidade de mudas e na produtividade dos materiais, as variedades de batata-salsa mais indicadas para a região de Curitibanos são a Coqueiral e a Inca. A variedade P2, após o lançamento, também tem grande potencial de cultivo.

Compartilhar

LS Tractor Fevereiro