Entrega de fertilizante cresce 16,7% em setembro

Registro de importação acompanha alta; trata-se de volume 25,3% maior em comparação ao mesmo mês de 2022

04.12.2023 | 19:18 (UTC -3)
Cintia dos Santos, edição Cultivar

As entregas de fertilizantes ao mercado brasileiro em setembro de 2023 foram de 4,89 milhões de toneladas, indicando alta de 16,7% em relação ao mesmo mês de 2022, quando se registraram 4,19 milhões de toneladas. No acumulado de janeiro a setembro, foram 33,50 milhões de toneladas, com crescimento de 11,3% ante as 30,10 milhões de toneladas em igual período do ano passado. Dados são da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).

O Estado de Mato Grosso, líder nas entregas ao mercado, concentra o maior volume no acumulado de janeiro a setembro (23,1%), atingindo 7,72 milhões de toneladas. Seguem: Paraná (3,88 milhões), Goiás (3,66 milhões), Rio Grande do Sul (3,56 milhões), São Paulo (3,15 milhões) e Minas Gerais (3,02 milhões).

Produção nacional

De acordo com a Anda, a produção nacional de fertilizantes intermediários encerrou setembro de 2023 com 619 mil toneladas, representando crescimento de 9,7%, na comparação com o mesmo mês de 2022. No acumulado dos nove meses de 2023, foram 4,99 milhões de toneladas, significando redução de 11,3% em relação a igual período do ano passado, quando foram produzidas 5,62 milhões de toneladas.

Importações

As importações de fertilizantes intermediários alcançaram em setembro 3,96 milhões de toneladas, com aumento de 25,3% em relação ao mesmo mês do ano passado. No acumulado dos nove meses, o total foi de 27,57 milhões de toneladas, significando aumento de 0,1% em relação ao mesmo período de 2022, quando foram importadas 27,55 milhões de toneladas.

No porto de Paranaguá, principal porta de entrada dos fertilizantes, ingressaram 6,76 milhões de toneladas, com redução de 11,9% em relação a 2022, quando foram descarregadas 7,67 milhões de toneladas. O terminal representou 24,5% do total importado

Compartilhar

Mosaic Biosciences Março 2024