Programa Desenvolve SP libera quase R$ 27 milhões em crédito ao agronegócio em 12 anos

Setor registrou aumento de 14% na balança comercial em maio e de quase 13% nas exportações no acumulado do ano

25.06.2024 | 14:56 (UTC -3)
Secretaria de Agricultura
Foto: divulgação
Foto: divulgação

Nos últimos 12 anos, quase R$ 27 milhões em crédito já foram liberados pela Desenvolve SP para projetos de investimento de micro, pequenos e médios empresários ligados ao agronegócio paulista.

A agência de fomento vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico já atendeu empreendedores(as) estabelecidos em 12 das 16 Regiões Administrativas do Estado, possibilitando a modernização e ampliação desses negócios.

O crédito foi utilizado, por exemplo, para projetos de controle de pragas, apoio ao reflorestamento, produção de flores e plantas ornamentais, psicultura, avicultura, criação de gados, entre outros.

Dados da Secretaria de Agricultura e Abastecimento mostram que o superávit da balança comercial do agronegócio do Estado cresceu mais de 14% em maio deste ano se comparado a maio de 2023. Já as exportações aumentaram quase 13% no acumulado de janeiro a maio em relação ao cinco primeiros meses do ano passado.

Controle de pragas

“Com a aplicação dos recursos da Desenvolve SP, nossa produção cresceu 300 vezes, passando de 200 quilos para mais de 50 Toneladas em 2023. Somos agora a maior fabricante brasileira de produtos à base de vírus para manejo de pragas agrícolas”, afirmou Leandro Silva, sócio administrador da Life Biological Control, localizada em Piracicaba. Os sócios da empresa – que começou como uma startup de tecnologia – querem agora construir uma nova fábrica.

Compostagem

“Nosso processo de tratamento de resíduo gera o humus, o resto do que foi ingerido pelo inseto. Isso vira um adubo rico em vários elementos importantes para a nutrição vegetal e para a defesa das plantas que têm contato com esses nutrientes. Esse adubo é indicado para todos os tipos de cultura. Ele ajuda a combater os efeitos da escassez de água, ajuda na microbiologia do solo e na estrutura que trabalha na absorção dos nutrientes”, diz Matheus Biekarck, um dos sócios da Meruoca Comércio de Matérias Primas Agrícolas.

Especializada em compostagem e localizada em Campinas, a empresa procurou a agência paulista e, com o crédito, ampliou sua sede e o processo de tratamento de resíduos. Sobras de alimentação vira ração e adubo para agropecuária, evitando a destinação a aterros, lixões ou incineradoras.

Desenvolve Agro

“Trata-se de um fundo de financiamento num valor de 500 milhões de reais com recursos da Desenvolve. Esses recursos serão direcionados para os profissionais do campo. Democratizar o crédito é democratizar o acesso. Os nossos recursos vão no fim da linha permitir que o médio agricultor possa usar as mesmas tecnologias do grande agricultor. O grande agricultor não compete com o pequeno, então o resultado disso é que todos os produtores agrícolas serão competitivos”, afirma Ricardo Brito, diretor-presidente da Desenvolve SP.

Anunciada em maio pelo governo estadual, a Desenvolve Agro é uma iniciativa da Desenvolve SP. Com o apoio da iniciativa privada, o valor total dos investimentos deve alcançar mais de R$ 2,5 bilhões. Por estarem próximas do empreendedor rural, as cooperativas terão um papel fundamental. Elas irão intermediar a tomada de crédito, auxiliando o pequeno e médio agricultor no acesso ao recurso financeiro, que poderá ser usado, por exemplo, na compra de maquinário mais moderno e mais eficiente.

Transição energética

“Estamos falando de um fundo, a princípio com recurso de 420 milhões de reais, para o pequeno e médio industrial, que não deixam de trocar máquina porque não querem, mas sim porque precisam de 130%, 150% de garantia. As máquinas industriais têm hoje, em média, 20 anos de uso. O custo da energia é uma das maiores dores da indústria. Além disso existe o impacto ambiental para se produzir essa energia”, acrescentou Ricardo Brito.

A Desenvolve SP vai gerir o Fundo de Aval da Eficiência Energética (FAEE), criado pelo governo do Estado para facilitar o acesso ao crédito e estimular o pequeno e médio industrial paulista na aquisição de maquinário mais moderno na geração de energia elétrica própria, implementando assim a chamada transição energética. A estimativa é beneficiar pelo menos 425 indústrias.

Serão reduzidas as garantias normalmente exigidas nas operações de crédito. Esta redução foi viabilizada a partir dos 8 milhões de euros investidos no Fundo pela empresa alemã GIZ. O crédito será acessado por meio do PotencializEE. O programa tem apoio do Senai, que vai auxiliar as indústrias na elaboração dos projetos.

Inovacred

Cooperativas, associações civis, fundações e instituições científicas, tecnológicas e de inovação privadas com sede no estado de São Paulo agora podem solicitar crédito da Desenvolve SP para projetos de inovação. A inclusão vale para as linhas Finep Inovacred, Finep Inovacred 4.0 e Finep Inovacred Expresso, com TR + taxa entre 4,24% e 5,58% ao ano, e prazo de pagamento de até 8 anos e carência de até 2 anos.

Compartilhar

LS Tractor Fevereiro