Mapeamento do solo identifica micro-organismos que favorecem a produtividade agrícola em Goiás

Levantamento faz parte do programa Agro Bioma Brasil, que prevê monitorar cerca de 5 milhões de hectares de solo cultivável no país

23.03.2023 | 15:45 (UTC -3)
Flávia Romanelli
Levantamento faz parte do programa Agro Bioma Brasil, que prevê monitorar cerca de 5 milhões de hectares de solo cultivável no país; Foto: Divulgação 
Levantamento faz parte do programa Agro Bioma Brasil, que prevê monitorar cerca de 5 milhões de hectares de solo cultivável no país; Foto: Divulgação 

A startup Biome4All vem realizando o mapeamento de solos brasileiros com seu programa Agro Bioma Brasil. Após a finalização do primeiro ciclo do projeto, foram identificadas nas áreas de alta produtividade uma funcionalidade microbiana e maior frequência de duas bactérias, na comparação com áreas de baixa produtividade. O estudo foi feito em propriedades com cultivo de soja, no estado de Goiás. Foram avaliadas 38 amostras coletadas em regiões que tiveram produtividade de 60 a 95 sacas/ha.

Segundo Estácio Odisi, líder de projetos da Biome4all, foi identificado o aumento da síntese de ácido salicílico. “A produção de ácido salicílico está ligada ao processo de adaptação da planta ao estresse hídrico e salino, fazendo com que seja mais tolerante a seca e em locais com alta salinidade”, explica.

Além disso, as bactérias que tiveram maior frequência nas áreas de maior produtividade foram os gêneros Arthrobacter e Rhizobium. “A bactéria Arthrobacter é uma promotora do crescimento das plantas, e ocorre apenas em solos aerados. Já as bactérias do gênero Rhizobium, estão altamente ligadas ao processo de fixação simbiótica do nitrogênio, nutriente que as plantas demandam em grande quantidade”, esclarece Odisi.

Com esses dados, é possível fazer um planejamento para manejo das características dos solos que apresentaram baixa produtividade. “Nas áreas menos produtivas, houve aumento do potencial de duas funções microbianas - redução do enxofre e o consumo de fósforo pelos micro-organismos. O processo de redução de enxofre realizado pelos micro-organismos diminui a disponibilidade desse nutriente para as plantas. Vale lembrar que esse elemento é muito importante para a cultura da soja, pois em caso de falta, as plantas apresentam reduções de crescimento e de produtividade. A diminuição de enxofre ocorre principalmente em solos encharcados e compactados, e com pHs próximos ao neutro”, orienta Odisi.

Já o alto consumo de fósforo por parte dos micro-organismos, muitas vezes está correlacionado com a alta disponibilidade desse nutriente no solo. De certa forma, isso induz o estabelecimento de uma comunidade microbiana com organismos oportunistas, que crescem rapidamente em biomassa. “Esse estudo apontou a importância de processos microbianos para a produtividade da soja. Tais indicadores podem ser monitorados ao longo do tempo para que produtores possam atingir maiores patamares de produtividade nas suas lavouras.”

Agro Bioma Brasil

Trata-se do maior projeto de mapeamento genético do solo brasileiro, que vai avaliar cerca de 5 milhões de hectares de solo cultivável no país em três anos. O objetivo do levantamento é trazer informações sobre o ganho de eficiência e produtividade agrícola, por meio de estratégias de administração de insumos baseadas no conhecimento da genética do solo.

Compartilhar

Mosaic Fevereiro Marco 2024