Produção italiana de máquinas agrícolas atinge valor recorde em 2023

O segmento de tratores alcançou um valor de € 2,7 bilhões, registrando aumento de 13% em comparação ao ano anterior

25.06.2024 | 13:39 (UTC -3)
Revista Cultivar, a partir de informações da FederUnacoma

A produção italiana de máquinas e componentes para agricultura e paisagismo atingiu seu valor mais alto de todos os tempos em 2023, com a receita chegando a € 16,4 bilhões. O resultado foi impulsionado principalmente pelo aumento nos preços de tabela, consequência da inflação e dos custos crescentes de matérias-primas. A presidente da "Federazione Nazionale Costruttori Macchine Agricole" (FederUnacoma), Mariateresa Maschio, explicou esses dados durante a assembleia anual realizada na tarde de hoje (25/6) no Palazzo Albergati, em Bolonha.

A distribuição dos valores por setores de produtos é variada. O segmento de tratores alcançou um valor de € 2,7 bilhões, registrando um aumento de 13% em comparação ao ano anterior, mesmo com uma produção de 51 mil unidades, uma queda de 6,6%. Já o setor de equipamentos e máquinas operacionais atingiu € 7,4 bilhões, com um aumento de 5,4%. A produção de tratores incompletos e peças para tratores gerou € 1,4 bilhão, marcando um aumento de 7,7%.

Os componentes para máquinas agrícolas contribuíram com € 4 bilhões em receita, com um crescimento de 5,2%. O único segmento que não apresentou aumento de receita foi o de máquinas e equipamentos para jardinagem e paisagismo, totalizando € 900 milhões, uma queda de 5,3%.

Papel das exportações

As exportações desempenharam um papel crucial no resultado do setor, representando aproximadamente 70% do valor da produção italiana. As categorias de tratores, máquinas agrícolas e tratores incompletos registradas pelo "Istituto Nazionale di Statistica” (ISTAT) indicam um valor de exportação de € 8 bilhões, um aumento de 9,8%, com um superávit comercial de € 5,8 bilhões. Este superávit é ainda fortalecido pela significativa participação das exportações de componentes e máquinas para jardinagem e paisagismo.

"A geografia das nossas exportações ainda mostra uma clara predominância da União Europeia” (UE), explicou Mariateresa Maschio. "A UE absorve 63% dos tratores fabricados na Itália, com outros 16% sendo absorvidos por países europeus fora do bloco. Em relação a outros tipos de máquinas, a UE absorve 51% da nossa produção, enquanto outros países europeus respondem por mais 14%”, acrescentou.

Ao analisar os países individualmente, o principal parceiro comercial da Itália para tratores é a França, com um valor de € 344 milhões, seguida pela Alemanha, Turquia e Estados Unidos. Para outros tipos de máquinas, os Estados Unidos destacam-se como o principal mercado, seguidos por França, Alemanha e Reino Unido.

Compartilhar

LS Tractor Fevereiro