Emater-RS apresenta modelo de silo para diferentes perfis de propriedade

Extensionistas estão orientando os visitantes interessados nessa tecnologia durante a Expodireto 2023

08.03.2023 | 13:45 (UTC -3)
Deise A. Froelich

Entre os 16 espaços temáticos preparados pela Emater-RS na Expodireto Cotrijal 2023, a parcela sobre secagem e armazenagem de grãos apresenta uma proposta que pode ser adaptada a diferentes perfis de propriedade. Extensionistas estão orientando os visitantes interessados nessa tecnologia.

Responsável pela parcela, o extensionista rural da empresa, Idanir Bianchetti, mostra um protótipo de silo secador de alvenaria, que está presente no espaço, e ajuda os produtores a compreender melhor seu funcionamento e obter informações sobre a elaboração dos projetos técnicos, elaborados.

“O que chama à atenção são os diversos benefícios desta proposta, como a simplicidade na construção e no manejo do silo secador, assim como suas vantagens financeiras”, afirma Bianchetti.

A implantação de silos secadores e armazenadores na propriedade, com projetos elaborados pela Emater-RS, tem avançado em todo o RS por trazer benefícios ao produtor, como a manutenção da qualidade do produto, agregação de valor e maior autonomia no momento da comercialização. Coordenador da parcela temática, Bianchetti observa que, com o passar dos anos, vem aumentando a procura por informações sobre o assunto nos escritórios municipais, sendo que isso é observado também durante a Expodireto, na parcela de secagem e armazenagem.

Além da elaboração do projeto, a Instituição atua na assistência à produção dos grãos e no acompanhamento na construção e manejo do silo. Os silos projetados pela Emater-RS são edificações simples, feitas de alvenaria, proporcionam fácil manejo e, geralmente, incentivam o mercado local e regional com a aquisição de materiais e utilização de mão-de-obra.

A elaboração dos projetos técnicos e as construções destes silos secadores têm como funções estratégicas conservar sementes para o plantio do próximo ano, garantir a alimentação da própria família, de forma direta ou indireta, e ainda, possibilitar a comercialização de excedentes a preços mais elevados, devido ao valor agregado pela sua qualidade.

“Além disso, pode comercializar subproduto, como o grão quebrado que sai durante o processo de pré-limpeza”, explica o extensionista da Emater-RS. Da mesma forma, essa tecnologia atrai a possibilidade de maior autonomia ao produtor, que com o produto disponível em sua propriedade, escolhe o melhor momento de realizar a comercialização.

Compartilhar

Mosaic Fevereiro Marco 2024