Revistas
 
Grandes Culturas
 
Plântulas em risco

Controle de erva-de-santa-luzia

Página 53 | 14/10/2021 |

Como lidar com o difícil controle da erva-de-santa-luzia, agravado pela tolerância a glifosato e a capacidade dessa planta de produzir várias gerações em um único ano, com sementes que germinam escalonadamente por longo período.


Uma das plantas daninhas que vêm ganhando destaque no País é a espécie Euphorbia hirta, popularmente conhecida como erva-de-santa-luzia. Frequentemente vem ocorrendo o relato de dificuldade de controle desta espécie nos sistemas de produção de culturas como a soja, especialmente na região Norte do estado do Mato Grosso e em outras áreas do Centro-Oeste. Um dos fatores que colaboram com a dificuldade de controle da espécie é a tolerância ao herbicida glifosato, amplamente utilizado para o controle de plantas daninhas. Tolerância de plantas daninhas a herbicidas é a capacidade natural da espécie em se desenvolver e se reproduzir após a aplicação do herbicida em dose recomendada por bula, a qual seria letal para outras espécies.

A espécie Euphorbia hirta, também conhecida como Chamaesyce hirta (sinônimo), pertence à família Euphorbiaceae, produz várias gerações em um único ano, e as sementes germinam escalonadamente por longo período, o que dificulta seu controle no campo. Seu crescimento é ramificado e a espécie apresenta pilosidade nas folhas e caules. As flores são de coloração verde ou rosada com pedúnculos marrom-avermelhados. É característico da planta a presença de antocianinas, pigmentos de coloração arroxeada, especialmente nas folhas da planta. 

Seja assinante e leia a matéria na íntegra

AssineLogin

Revista Cultivar

 

Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura

Grupo Cultivar de Publicações LTDA

 

Rua Sete de Setembro, 160

Centro, Pelotas | CEP 96015-300

+55 53 3028.2000 | 3028.2070

contato@grupocultivar.com